Webmail

 

fonoaudiologia sempre teve um estreito laço com a educação e, atualmente, a fonoaudiologia educacional vem ganhando cada vez mais espaço nas escolas brasileiras. O colégio São José conta com a fonoaudióloga Suelen Gindri Sirqueira em sua equipe pedagógica há oito anos.

 

QUESTÕES RELEVANTES SOBRE A ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL FONOAUDIÓLOGO ESCOLAR

 

-  Uma fonoaudióloga, na escola, ainda é algo incomum. Qual o papel que desempenha no ambiente escolar?

A forma de aprender não é comum a todas as pessoas, e muitos são os fatores que podem dificultar o aprendizado escolar de uma criança, em nosso colégio respeitamos as individualidades de nossos alunos. A fonoaudiologia educacional vem para auxiliar a equipe pedagógica a detectar e prevenir alterações que possam ocasionar dificuldades no processo de ensino aprendizagem, bem como planejar ações que auxiliem o aluno e a família.

 

Poderia citar algum fator de risco que pode atrapalhar no desenvolvimento escolar?

O atraso no desenvolvimento da fala é um fator de risco, porque, durante a alfabetização, a criança utiliza constantemente da fala para escrever, se esta estiver alterada, pode ocasionar troca de letras, omissões, um vocabulário diminuído e dificuldades no desenvolvimento da consciência fonológica.

 

E as crianças que já apresentam estas alterações, ainda podem ser ajudadas?

Sim, mas para isso, às vezes, é necessário um apoio extra sala de aula, com atividades específicas para as dificuldades apresentadas pelo aluno.

Aqui, no São José, temos a seguinte conduta: todos os semestres, os alunos passam por um teste de sondagem elabora por mim (fonoaudióloga educacional) para análise da escrita, compreensão e elaboração textual. O teste é corrigido pela professora de sala e pela professora do apoio pedagógico. Em seguida, nós da equipe pedagógica discutimos o caso e se necessário acionamos a família para deixá-la ciente dos objetivos específicos que traçamos para o aluno. Então, ele é convocado para os apoios, que são realizados no contraturno.

Se as dificuldades persistem, os pais são chamados novamente para discutir a situação e encaminhar para profissionais que nos auxiliem nesta missão de ensinar. Sempre procuramos manter contato com os profissionais que atendem nossos alunos para auxiliá-los da forma que for possível.

 

A sua presença na escola está ligada também às novas realidades geradas com a Lei de Inclusão?

Sim. A inclusão é um direito de todos os alunos. Se forem necessárias adaptações de material, provas, estilo de aula e preparação dos professores estarei juntamente com a coordenação atuando para que isso ocorra de forma eficiente.

 

Você pode realizar atendimento fonoaudiológico na escola?

Não. O Conselho Federal de Fonoaudiologia veta o atendimento clínico-terapêutico dentro das Instituições de educação. Minha função está ligada ao plano pedagógico, orientação a pais e professores, contato com profissionais da saúde e formação continuada.